Uma história de amor que se transformou num grande gesto de solidariedade

Sobre o ISD


O Instituto Stella Demarco nasceu de um ato de amor. Do amor de um pai por sua filha. Aos nove meses, a criança alegre e feliz foi diagnosticada como portadora de Neuroblastoma, um tipo de câncer infantil. Mesmo com todos os recursos científicos, e a melhor equipe médica disponível para o tratamento, o destino quis que Stella se tornasse uma estrelinha no céu. Seu pai, que nunca havia tido contato com uma criança com câncer, prometeu abraçar a causa e lutar contra o câncer infantil. Arregaçou as mangas e transformou a imensa dor em solidariedade e no desejo de salvar a vida de outras crianças portadoras da doença. A inspiração para a criação do Instituto Stella Demarco veio também da competência e do carinho com que o pediatra e oncologista Dr. Vicente Odone Filho tratou a pequena Stella. Responsável pela área de Onco-Hematologia Pediátrica do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Hospital Albert Einstein, o médico mostrou-se incansável e extremamente humano, trabalhando sem parar para salvar crianças e amparar os seus pais. “Não pudemos curar a Stella, mas agora estamos juntos para salvar Luízas, Sofias, Paulinhas, Pedros e Antonios”, promete o pai da Stella, que transformou o combate ao câncer infantil em uma missão de vida.


O Neuroblastoma é um tumor sólido que pode se desenvolver no tecido nervoso do pescoço, tórax, abdômen ou pélvis, mas usualmente nasce nos tecidos da glândula supra-renal. Eles são 7,8% de todos os tipos de câncer entre crianças com menos de 15 anos de idade.

Cerca de 97% dos neuroblastomas são malignidades embrionárias do sistema nervoso simpático que ocorrem quase exclusivamente em recém-nascidos e crianças muito novas. Ele é o mais frequente tumor congênito e o mais frequente tumor durante o primeiro ano de vida. 

O neuroblastoma é um tumor predominantemente da primeira infância. Dois terços das crianças com neuroblastoma são diagnosticadas quando têm menos de 5 anos de idade. Muitas vezes, o neuroblastoma já está presente por ocasião do nascimento.

Olhos estufados e olheiras são comuns e são causados pelo câncer que se espalhou por trás dos olhos. O neuroblastoma pode pressionar a coluna, causando até paralisia. Febre, anemia e pressão alta são encontradas ocasionalmente. Raramente, crianças podem ter diarréia violenta, movimentos musculares irregulares e não coordenados ou movimento ocular descontrolado.